Colesterol, aprenda controlar quando ainda são pequenos.

28 de outubro de 2012 9 comentários


Dia desses, você levou seu pequeno ao médico para fazer exames de rotina e levou um susto com a notícia de que o colesterol ruim (LDL) dele está nas alturas. Daí vem à pergunta: E agora, como reverter o quadro?


Segundo o site www.boasaude.com.br, “dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que cerca de 43 milhões de crianças em idade pré-escolar sofrem de obesidade ou sobrepeso, um dos indícios de que o colesterol pode estar elevado.       Pesquisa realizada com  2.000 crianças e adolescentes com idade entre 5 e 20 anos mostrou que 53% delas apresentavam excesso de gordura no sangue”.

As dicas para livrar seu filho desse inimigo silencioso, na verdade, são simples, porém devem ser seguidas à risca tanto pelos pais como pela criança. Afinal, é nos adultos que as crianças se espelham? E são elas: cuidados com a alimentação e prática de atividade física.

Começando pela alimentação, acabe com aquela gavetinha da despensa repleta de bolachas recheadas, doces, batatinhas de lata e outras guloseimas que faziam a festa da criançada.  No seu lugar, armazene saquinhos com nozes, amêndoas e castanhas, conhecidas como frutas oleaginosas. Elas possuem um tipo de gordura saudável que diminui, no organismo, o colesterol ruim e aumenta o colesterol bom. 

Além das oleaginosas, outros alimentos que ajudam a baixar o colesterol ruim e a aumentar o bom podem ficar sempre à mão da criança. É o caso de frutas, pães e bolachas integrais ou sem recheio ou cobertura, sucos naturais, água de coco, aveia para misturar com iogurte ou leite desnatado, queijo branco e peito de peru.

Atenção também para a importância do café da manhã. Jamais deixe o seu filho ir para a escola sem essa refeição, pois, na hora do recreio, corre-se o risco de ele atacar um salgado gorduroso ou aquela bomba cheia de chocolate.

Chegou a hora do almoço e o pequeno se recusa a comer salada? Use a imaginação e monte um prato divertido, com legumes cozidos e crus, em formato de palhacinho, bichinho ou até mesmo uma megas-salada super colorida e intitule-a “a salada do Ben 10” ou “a salada das fadas”.

Evite os seguintes alimentos:

Enlatados, bacon, manteiga, nata, carnes gordurosas, pele de frango, refrigerante (durante a semana), gema de ovo, farinha branca.
Deixe claro que todo esse cuidado é para o bem dele e que, nos fins de semana, vocês sairão para comer uma coisa bem gostosa, como uma pizza ou um hambúrguer.
Agora, pouco adianta seguir um cardápio certinho se o seu filho passa todo o tempo em que está em casa na frente da televisão ou do computador. Ele tem de “mexer o esqueleto”. Se ele nunca foi uma criança ativa, comece levando-o a um parque ou a uma pracinha perto de casa. Vale até mesmo levá-lo para dar umas voltas no quarteirão. Mais para frente estimule-o a fazer uma aula experimental de algum esporte (como natação ou futebol) ou de dança e, sabendo de qual delas ele gostou mais, matricule-o na atividade. 
Essas dicas valem tanto para crianças que estão acima do peso quanto para crianças magras. Pois, já é sabido que aquela concepção de que somente pessoas obesas são as mais propensões a ter colesterol alto é mito!
Você verá como ele se tornará uma criança até mesmo mais alegre, ativa e sociável.
Só não se esqueça de sempre acompanhar toda essa evolução e realizar exames de rotina para, com a ajuda do médico, manter o colesterol ruim controlado.



9 comentários:

  • Cláudia Leite disse...

    Sempre bom falar sobre isso, porque os hábitos mudaram muito e as crianças andam comendo muitas coisas industrializadas, sempre com risco de desenvolverem doenças.

    Boa semana, seu blog é ótimo!

  • Brenda Kayene disse...

    Que máximo seu post!!!
    Eu tenho um super cuidado com a alimentação do Miguel.. só coisas saudáveis. rs
    Não vejo a hr dele ficar maiorzinho pra colocá-lo na natação.

    Uma coisa que vc disse e é verdade, é q nem toda criança magra está saudável. Meu bebê é gordinho, não é obeso e saudável. Já vi muita mãe se gabar por não ter um bebê gordinho, porque o dela é 'saudável'. Não devemos julgar nada pela aparência, quanto mais saúde.

    Beijos!

  • Nádia Lima disse...

    Obrigada por sua visita!

    Adorei o post,excelente orientação!
    Sucesso e paz de Deus pra você!

    bjs

  • Bruxa disse...

    Olá querida!
    Demorei, mas finalmente estou conseguindo voar por aqui novamente!

    Muito boa essa matéria. Por trabalhar com crianças, sei bem que muitos pais não cuidam da alimentação dos seus pequenos. Desde cedo, as crianças conhecem as redes "fast food", mas muitos não sabem o que é um agrião, acelga...
    É complicado.

    Tem selinho lá na caverna.
    Se curtir, fique à vontade pra postar e repassar.

    Abraços e HAPPY HALLOWEEN!!!

  • Carol Liôa disse...

    olha sempre tive medo disso em crianças! Por sorte a minha e magrela e estamos distante disso mas todo cuidado e pouco!! ensinar agora p mais tarde ñ sofrerem né? bjs

  • Camila Fernandes Grecco disse...

    Belo post, alimentação é de extrema importancia na vida dos pequenos. Parabéns .

    bjs
    http://mamaedeunhafeita.blogspot.com

  • Desirée Tapajós disse...

    Toninha muito bom post, as meninas estão com colesterol altos, já mudei algumas coisas, mas mesmo assim ainda estão dando altos. E olha que sempre tive uma preocupação muito grande com a alimentação das meninas.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

 

©Copyright 2013 - Todos os Direitos Reservados - Toninha Ferreira Mundo Mãe | Design By Arte e Design