O que fazer quando o seu filho(a) está mordendo?

15 de fevereiro de 2013 9 comentários

Na escola este tipo de acidente é o que mais ocorre. O interessante é que os pais sabem disso e, não avisa a professora. 

A professora por sua vez, só descobre que o aluno do filho de fulano morde quando o fato acontece. 

Comunica aos pais e o pior de tudo acreditem, tem pais que não aceitam que seus filhos são os mordedores da sala. Os educadores não podem se distrair em momento algum senão Nhac! Já aconteceu. Sempre tem uma desculpa na hora da mordida. O coleguinha de classe não quis dividir o brinquedo? Nhac! A mãe está grávida de um irmãozinho? Nhac! Ninguém dá a atenção exigida? Nhac!
Mais do que uma reação de raiva, as mordidas dadas pelas crianças pequenas, com até 2 ou 3 anos de idade, são uma forma de comunicação e de expressão de sentimentos. "Nessa primeira etapa da vida, a criança ainda não domina a linguagem. Então, a forma que ela tem para se expressar, para se comunicar e interagir com os outros é pelos meios físicos, como morder, bater, puxar o cabelo".
O fato de as mordidas fazerem parte de uma fase do desenvolvimento das crianças não significa que elas devem ser ignoradas ou aceitas pelos pais ou pelos educadores. Conheça abaixo um pouco mais sobre essa fase e veja as dicas dos especialistas para saber como lidar quando seu filho é a vítima da mordida ou quando é o autor da dentada em um coleguinha da escola ou mesmo em um adulto.
Por que as crianças mordem?
Enquanto não sabem falar com desenvoltura, as crianças utilizam outros meios para se expressar e para se comunicar. A mordida é uma delas para manifestar descontentamento. A criança deseja ao morder um amiguinho não é por agressão, mas sim para obter de forma rápida algum objeto ou chamar atenção. As mordidas são usadas em situações diversas, e a criança vai avaliando quais os efeitos que as mordidas têm. A criança morde e depois vê o que acontece. Se ao morder ela consegue o que quer, qual a reação do outro e até mesmo do adulto.
O que é fase oral?
A fase oral denominada pelo pai da psicanálise, Freud, “é uma etapa do desenvolvimento que vai do nascimento até por volta de dois anos de idade”. Nessa fase, é comum vermos crianças dando mordidas ao primeiro sinal de estresse. Este é o momento, mais importante e primitivo estágio do desenvolvimento infantil, quando a criança é egocêntrica, ou seja, o mundo gira e existe por causa dela. Sendo assim, tudo que deseja deve ser prontamente atendido, e se isso não acontece, Nhac! Acontecem mordidas precedidas de muita pirraça. Nessa idade as necessidades, percepções e modos de expressão da criança estão concentrados na boca, lábios, língua e outros órgãos relacionados com a zona oral.
Como elas aprendem a morder?
Elas não nascem sabendo dar mordidas, assim como não nascem sabendo dar tapas ou puxar cabelos. Quem ensina as crianças a morder, beliscar, dar tapas, são os próprios adultos ou as crianças mais velhas. Elas aprendem na relação com outras crianças, com os adultos. Os adultos têm uns tipos de brincadeiras, dizendo vou morder você, vou apertar você, vou beliscar ou dar um apertão em sua bochechinha linda e por aí vai... As crianças assistem essas formas de comunicação e a partir daí vai usando esse meio para se comunicar também.
Quais as situações que as crianças mordem?
Tem várias situações que podem levar uma criança morder. Em uma sala de aula em que a professora está grávida, por exemplo, pode haver um sentimento de perda ou abandono, em vista do bebê que vai chegar. Mesmo em casa, se mãe está grávida de um irmãozinho. Mudança de sala de aula na escola, disputa de Brinquedo ou mesmo para chamar atenção de um adulto.
Então como lidar com as mordidas?
Quando uma criança morde outra pessoa, é importante a intervenção de um adulto, para fazer com que ela reflita sobre o que fez e para que entenda que há outras maneiras de conseguir o que quer sem usar de mordidas ou pirraças. O adulto deve mostrar a criança que o que fez está errada e que pedir desculpas é importante. O papel do adulto deve mostrar à criança que a linguagem é a forma de se obter as coisas. Esse é o objetivo de nós educadores, tanto na escola quanto em casa. Quando esse ensinamento não é dado logo cedo, as crianças crescem e se mantêm atitudes para conseguir as coisas que querem. É o que estamos vendo por aí, crianças mais velhas se atirarem pelo chão fazendo escândalo quando são contrariadas. Há casos em que a mordida pode ser um sinal de que a criança está com problemas de ordem emocional. Se as mordidas passam a ser frequentes, a criança pode estar ansiosa, insatisfeita, com sentimento de rejeição ou tentar chamar atenção através da agressividade. Quando isso acontece a família, a escola precisam acompanhar de perto e com atenção para descobrir as possíveis causas e dependendo do caso, é importante buscar ajuda de um especialista, psicólogos, porém, os casos de ordem emocional não são em si a maioria.
E o que fazer quando seu filho(a) for mordido?
É uma situação difícil para os pais e para as crianças envolvidas. Na maioria os pais da criança mordedora sentem-se envergonhados e os pais da criança mordida ficam chateados pelo que aconteceu com seu filho(a). Se o fato aconteceu na escola, cabe à escola mediar às relações entre as crianças e seus familiares para minimizar os sentimentos negativos e criar situações para estabelecer limites, mostrando a importância do respeito e do tratar bem o amigo que ficou triste por ter sido machucado. Isso de forma alguma deve torna-se uma coisa rotineira na escola ou fora dela. A criança mordida deve ser acolhida e incentivada a mostrar o seu descontentamento, porém nunca deve ser incentivada por um adulto, a revidar com outra mordida ou a bater em seu coleguinha. Um bom diálogo entre as partes envolvidas gera amadurecimento e crescimento.



9 comentários:

  • Genis disse...

    JM não teve a fase de morder... mas já foi mordido várias vezes...rsrss
    Bjus, Genis

  • Beatriz Paulistana disse...

    Boa noite querida Toninha!!!
    Agora vim por aqui...
    Menina post mega válido.
    Meus filhos nunca morderam na escola. Em casa já aconteceu mas apenas uma vez, conversei e entenderam. Filha foi mordida na na escola na primeira semana de aula. Fiquei triste, mas como trabalhava no local, mantive a postura de professora e não interferi, deixei que a professora dela cuidasse da situação.
    E tudo acabou bem, sem mais mordidas...
    Desejo uma semana mega abençoada e feliz!!!
    Bjokas...da Bia!!!

  • Alessandra Lima disse...

    oi vim conhecer seu blog!! acredita que Anna Laura não teve essa fase de morder! graças a Deus e acho que agora ela não faz mais! ahh e também nunca chegou mordida...

  • Lu (mãe da Bia) disse...

    Oi Toninha!
    A Bia está com 2 anos e ainda não passou por isso!
    Não mordeu e nem foi mordida!
    Mas tenho pânico, só de pensar que isso pode acontecer...
    Bjo!

  • Brenda Kayene :) disse...

    O Miguel adoooora morder e creio que seja por estar com novos dentinhos e aí coça demais! Quando dizemos NÃO, ele dá risada e parece não entender. Então dizemos que machuca, "ai" e o distraímos com outra coisa.

    Essa fase de mordidas é tensa demais.. rs


    Beijos!

  • Adriana Balreira disse...

    kkkkkkk....lembrei de mim! Mordia demais quando pequena, meu apelido era Oncinha! Toda semana minha mãe era chamada na escola por eu ter mordido um amiguinho! Bem doida eu!
    Beijos
    Adriana

  • Sandy Matos disse...

    Olá! Vi seu blog no "Agenda dos Blogs" e já estou seguindo. Se quiser seguir o meu ficarei feliz! Sucesso!
    http://sandyadorartes.blogspot.com.br/
    http://www.facebook.com/Adorartes?fref=ts

 

©Copyright 2013 - Todos os Direitos Reservados - Toninha Ferreira Mundo Mãe | Design By Arte e Design