BC - Licença Maternidade, Não é Férias

26 de abril de 2013 15 comentários

Quando engravidei trabalhava em Salão de Beleza onde era Manicure. Fiquei até os 7 meses. Muito inchada e muito gorda, ficava difícil de locomover e já estava com sensação de cansaço, parecia que daria a luz a qualquer momento.
Com a falecimento de meu pai que foi uma morte trágica, um choque pra mim, completando 8 meses dei a luz uma menina a qual foi batizada com o nome de Fernanda. 
Fui pra casa da minha mãe ficar o meu resguardo, mas estava recente a morte dele e passava a maior parte sozinha. Minha mãe cuidava de seu banho e da cura do seu umbigo e eu das suas roupinhas e acreditem se quiser usei muita fralda de pano. Não tinha condições de comprar descartáveis, as que ganhei separei pra dormir a noite e ir ao médico. Por ser prematura ficou 3 dias na incubadora por ser muito pequena, pensei que não iria sobreviver, nasceu rochinha e não ouvi o seu chorinho. Minha filha passou da hora de nascer, tinha dilatação mas não tinha contração e por mais que me descem a sorinho nada adiantava. Tive que esperar a troca do plantão dos médicos, para fazer a cesariana. Quem me fez o parto foi o Dr. Gulherme Bastos, uma benção me tratou super bem e me colocou em um quarto particular onde recebi toda assistência. Sem pre achei de que sempre fui preparada pra ser, nasci pra ser. Nunca adotei chupeta. A última mamada da minha filha era as 8 da noite e só acordava no outro dia. Não sei o que é dar mama de três em três horas, durante o dia ela foi privilegiada tinha duas mães de leite, a Priscila que era esposa do meu irmão e minha cunhada ambas tinham nenê novo e me ajudaram bastante e a noite inseri a mamadeira. Agora devem estar me perguntando porque não amamentei, pois bem me deu mastite no peito e o médico suspendeu. E para que ela não ficasse desprovida dos benefícios do leite materno adotei duas mães de leite.
Me saí muito bem como mãe e sempre que precisarem pode contar comigo com alguma ajudinha. 
Licença Maternidade, nunca tive e nem sei o que é isso desde que os filhos nascem somos trabalhadoras eternas, mesmo de olhos fechados estamos sempre preocupados com eles.



Agora vamos entender um pouco o que é  Licença Maternidade.

Quem tem direito à licença-maternidade?

A licença-maternidade é um direito de todas as mulheres que trabalham no Brasil e que contribuem para a Previdência Social (INSS), seja através de empregos com carteira assinada, temporários, trabalhos terceirizados e autônomos ou ainda trabalhos domésticos. 


O valor da licença-maternidade é igual ao do salário mensal no caso de quem tiver carteira assinada ou exercer trabalho doméstico. 



Mesmo donas-de-casa ou estudantes que não tenham salário, mas que decidam pagar mensalmente para a Previdência, podem usufruir da licença depois de pelo menos 10 meses de contribuições. Nesse caso, o valor do salário-maternidade é o do salário referência da contribuição (se a pessoa contribui sobre o salário mínimo, recebe na licença um salário mínimo por mês). 

Têm direito ainda ao afastamento mulheres que sofrem um aborto espontâneo ou dão à luz um bebê natimorto (morrem dentro do útero da mãe), assim como mulheres que adotam crianças. 

De quanto tempo é o afastamento?

O afastamento é de no mínimo 4 meses ou 120 dias corridos - que vale para todas as mulheres - e de no máximo seis meses, dependendo do tipo de ocupação que a futura mamãe tenha. Isso porque a lei que prevê a ampliação da licença de quatro para seis meses ainda não foi aprovada para todas as categorias profissionais. 





15 comentários:

  • Nossa Princesinha Yasmin disse...

    Eu tive licença maternidade por 4 meses! Mas como a Yasmin estava querendo nascer antes do previsto tive que sair um mês antes dela querer vir ao mundo! Entanto com ela fiquei só 3 meses de licença! Acho injusto a licença deveria ser de 6 meses para todas já que a amamentação é orientada a ser exclusiva.

    Beijos
    http://yasmin-vitoria.blogspot.com.br/

  • Andrea Charan disse...

    Eu deixei de trabalhar quando engravidei..... e estou de licença maternidade até hoje, kkkk. É um direito pequeno, mas deve ser bem usado, enquanto se lutam para aumentar esse prazo, tão importante para mãe e filho. Bjus Bjus Andrea e Lara coisas-da-lara.blogspot.com.br

  • Débora Nunes disse...

    É amiga, ser mãe é nunca mais na vida ter férias;. rs

    Parabéns pelo post e pela BC.
    Beijos
    Débora

  • Vivi * Isaac disse...

    Que bom tudo deu certo para vc e sua princesinha. Eu sofri um aborto espontâneo e trabalha, eu recebi esta licença de 15 dias para ficar em casa e desconhecia... Foi ótimo para me recuperar emocionalmente. Bjs
    Vivi e Isaac

  • Cristiane Lima disse...

    Amiga... q início difícil com perdas e bebê prematuro, mas vc se saiu muito bem!
    Licença nem de perto é descanso e sim adaptação e mt trabalho, bjss

  • Regiane disse...

    Oi Toninha!

    Obrigada pela força amiga, vou entrar no grupo que sugeriu sim... valeu mesmo. Adorei aqui... ainda não sou mãe,, mas sei que não é fácil.

    Parabéns peça postagem! Linda foto!

    Beijão

    Regi
    http://atelieinventivo.blogspot.com.br

  • Alessandra disse...

    Olá.....vim retribuir a sua visita...e adorei o seu Blog...já estou te seguindo...

    Eu tbém não voltei a trabalhar o meu filhote está com 1 ano e 2 meses...e foi a melhor escolha...

    bjs

  • Andreia Sales disse...

    Toninha a Fernanda chegou num momento triste da sua vida trazendo paz e tranquilidade.
    Bjks
    http://www.makeviagem.blogspot.com.br/2013/04/licenca-maternidade-nao-e-ferias.html

  • Renata Diniz disse...

    Toninha! Eu concordo com você, até dormindo, trabalhamos. Não "desligamos" nunca. Linda participação. Beijo!

  • Cris Henriques disse...

    Olá Toninha.

    Vim conhecer este teu outro blog. Gostei de ler o relato da tua gravidez, a tua filha não nasceu prematura por acaso. Isso aconteceu como uma compensação pela tua perda, dando um novo alento ao novo ciclo da tua vida.
    Parabéns.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

  • Anne Lieri disse...

    Toninha,que relato mais emocionante!Imagino como deve ter sido dificil esse tempo,com a morte de seu pai.Adorei a sua foto tb,está linda de grávida!bjs,

  • Andreia Cristina disse...

    Ei Toninha!

    Nossa, imagino que tenha sido difícil a perda do seu pai. Mas que bom que a Fernanda chegou.

    Complicado quando os médicos ficaram esperando por algo que não dá né?

    Graças a Deus deu tudo certo e você tá certíssima: depois que os filhos chegam trabalhamos sempre!

    Beijo!

  • Desirée Tapajós disse...

    Toninha,

    Nossa que barra perder o pai no momento e que nos encontramos tão frágeis. Ainda bem que sua filha chegou para dar força para seguir em frente.

    Adorei a frase "Licença Maternidade, nunca tive e nem sei o que é isso desde que os filhos nascem somos trabalhadoras eternas, mesmo de olhos fechados estamos sempre peocupados com eles." é a mas pura verdade

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/2013/04/bc-licenca-maternidade-nao-e-ferias.html

  • Donetzka Cercck Lavrak Alvarez disse...

    EXCELENTE POST,TONINHA.

    DEVE TER SIDO UMA LUTA PARA VC,MAS SOMOS TODAS GUERREIRAS.


    NÃO ESTOU RECEBENDO SUAS ATUALIZAÇÕES,AMIGA.

    NÃO SEI O MOTIVO,POIS ESTÁ NOS MEUS FAVORITOS.

    ENQUANTO NADA SE RESOLVE,ABRO PARA VER SUAS PUBLICAÇÕES.

    BEIJOS E LINDO DOMINGO


    DONETZKA

  • Desirée Tapajós disse...

    Toninha que barra perder o pai e não puder amamentar, ainda bem que você consegui duas amas de leite ou "mães de leite" com vc chama.

    Achei ótima sua frase, super concordo "Licença Maternidade, nunca tive e nem sei o que é isso desde que os filhos nascem somos trabalhadoras eternas, mesmo de olhos fechados estamos sempre preocupados com eles."

    Tri-beijos Desirée

    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/2013/04/bc-licenca-maternidade-nao-e-ferias.html

 

©Copyright 2013 - Todos os Direitos Reservados - Toninha Ferreira Mundo Mãe | Design By Arte e Design