Ajudando meu filho(a) a superar o medo

16 de março de 2013 6 comentários

Desde muito bebê sempre coloquei minha filha pra dormir sozinha. Por ser muito pequena e precisando de cuidados. Era eu que ia pra seu quarto todas as noites. E sei que têm muitos pais encontram dificuldades em fazer seu filho dormir sozinho e realmente não é uma tarefa fácil, ainda mais se ele sempre foi acostumado a dormir na cama ou no quarto com vocês. Por este motivo, não é bom deixar que seu filho(a) durma com você e seu esposo (a) na mesma cama, pois será difícil para que depois ele (a criança) venha dormir sozinho.
Talvez você pense que ele vai conseguir se acostumar com a situação de dormir sozinho com o decorrer no tempo, na medida em que ele for crescendo e amadurecendo, mas como  você espera que ele se desenvolva se você não permitir isso a ele? Pode sim ser muito doloroso olhar para ele, e ver lagrima, e olhos cheios de medo, mas é preciso que você converse com calma com seu filho, explique que não há nada pra ele ter medo, e que ele precisa dormir sozinho, afinal de contas o mais rápido possível que ele encarar seus medos, e perceber que não existe “bicho-papão”, mas desenvolvido seu filho será.

Mas como ajudá-lo a dormir sozinho?

Está é uma pergunta que muitas mães não sabem como reagir. Principalmente se a criança vem com suas desculpinhas tolas que está com uma dorzinha na barriga que nunca melhora, mas ele não aceita tomar remédio; ou que ele ouviu um barulho estranho; que tem medo do escuro, enfim... Devido ao cansaço a mãe cede, e deixa seu filho entrar embaixo do edredom no meio de seus pais.
Algo que você não deve deixar que ocorra! Seu filho precisa amadurecer e crescer, e para isso precisa ver em você autoridade, para confiar em você quando dizer que não há nada no quarto dele. Então deixe a emoção de lado nesta situação, e tome sua atitude centrada na razão, mas nada de machucar a criança interiormente, ou de deixá-la com mais medo. Use sua sabedoria para educar seu filho!

Como superar o medo?

- Não assuste - o com histórias de fantasmas, bruxas, etc., antes de dormir. 
- Não ria dos seus temores e nem fica contando pras amigas no dia seguinte perto dele. Se o ridiculariza ou zomba do seu medo, diminuirá sua confiança, e, o desanimará a compartilhar seus temores contigo.
- Não transmita mais medo ao seu filho do que ele já tem. Ele necessita ter segurança e confiança. Não ignore seus medos. Não minta, por exemplo, dizendo-lhe que uma injeção não doerá ou algo parecido. Se mente sobre uma situação de medo, produzirá mais temor. Ajude-o a preparar-se para enfrentar a situação com verdade e honestidade. Se seu filho tem medo de ir ao colégio, ouça suas razões, leve-o à escola, visite e mostre sua sala de aula e diga-lhe o quanto irá aprender ali.
- Não obrigue seu filho a passar por situações que ele tem medo. Seu filho tem o direito de acostumar-se pouco a pouco com a situação que ele teme. Não o obrigue a fazer nada que ele não esteja preparado, como por exemplo assistir um filme do qual ele tem medo, ou que acaricie um cachorro.
- Não transmita seus temores pessoais ao seu filho. Se você tem medo de algum bicho, lembre-se que a forma como você enfrenta seus próprios medos dará ao seu filho o padrão a seguir para enfrentar situações similares.
- Não o ridicularize. Isso não o ajudará em absoluto. O fará sentir-se inseguro, necessitado de carinho, solitário e sem compreensão.
- Não o obrigue a afrontar seus medos sozinhos. Isso é um enorme erro. Você contribuirá para esse medo aumente. Além disso, o sentimento de não ser capaz de enfrentar a situação não o deixará sentir-se orgulhoso de si mesmo.
- Não ignore os medos do seu filho. Tudo tem uma causa. Ele perceberá da sua parte, desinteresse e falta de carinho e de atenção.




6 comentários:

  • VERÔNICA RIBEIRO disse...

    Toninha adorei seu artigo, é isso mesmo. A dependência é nossa, quando mais cedo eles forem dormir sozinhos melhor. Dormir com os pais gera muitos conflitos posteriores de manipulação dos pais, autoritarismo, desqualificação do parceiro, declínio do casamento. Já vi casamentos acabarem por causa disto. É para pensar.

  • Mamãe Nádia disse...

    Oi querida, amei o texto de hoje! Aprendi bastante sobre como a judar meus filhos a superarem seus medos!
    Desculpa porque ainda não respondi à tag que vc me indicou há uns dias atrás, vou fazer isso nesse final de semana, tá bom?
    Estou tirando o final de semana pra ler todos os seus posts, pois durante a semana eu não dou conta de ler tudo!
    Tenha um ótimo final de semana!!
    Beijinhos!

  • Educadores Multiplicadores disse...

    Olá Multiplicadora Toninha, Felicidades a toda sua casa!

    Educadora, estamos aqui em nome de todos os EDUCADORES MULTIPLICADORES e precisamos de sua ajuda para alargar as fronteiras do conhecimento e encurtar a distância entre os educadores.

    Ajude-nos a conhecer novos trabalhos, fazer novas e boas amizades, todos nós ganharemos.

    Gostaríamos que você convidasse 2 ou 3 blogs de sua lista de professores, convidando-os a conhecerem e, quem sabe a participarem da Família EDUCADORES MULTIPLICADORES. Lembramos que os blogs devem ter conteúdos com foco EDUCACIONAL.

    Certo de sua atenção, agradecemos em nome de todos os Educadores Multiplicadores. Contamos com você! Fiquemos na Paz de Deus e até breve.

    IRIVAN

  • Zizi Santos disse...

    Oi Toninha
    que bom te ver la no blog
    meus filhos são adultos. Lendo o texto, comecei a relembrar. Eles sempre dormiram direitinho nas suas camas. Quando vc falou que a mãe deixa seu filho entrar embaixo do edredom, me arrepiei. crianças são danadas para reinar nessa situação.
    Ainda bem que em casa, meus filhos nunca me deram trabalho assim. Como era frio, a tarde, as vezes dormíamos juntos enquanto assistíamos TV. criança gosta de carinho assim.
    Foi muito bom vir aqui e ver um post tão interessante. bj e bom domingo Zizi

  • Andreia Cristina disse...

    Ei!

    Me ajudou sim Toninha!

    Então, aqui o Pititco sempre dormiu no seu quarto, nunca tivemos problemas. Quando ele acorda e pede mamadeira (isso aocntece de vez em quando) assim que mama, dou um beijo e coloco ele de volta no berço. Ele nunca reclama.

    Mas agora deu pra ter medo. Interessante a dica de não "passar" nossos medos pra eles. Às vezes eu falo "mamãe tem medo", isso pode atrapalhar né?

    **
    Sobre o selinho, é aquele das sete perguntas né? Os dois?

    Beijo e obrigada!

 

©Copyright 2013 - Todos os Direitos Reservados - Toninha Ferreira Mundo Mãe | Design By Arte e Design