Formas adequadas de se relacionar com os outros

20 de julho de 2013 12 comentários

A transmissão de valores tais como: honestidade, generosidade, justiça e compaixão é inerente à vida em comunidade e inibe futuros comportamentos violentos.
Assim, nas relações com as crianças, os pais devem transmitir modelos morais. Para isso, os pais precisam ser modelos de fato, ou seja, não adianta apenas falar, é preciso agir. 
Exemplo: dizer para a criança que jogar lixo nas ruas é ruim e ao buscá-la na escola fazer o contrário, jogando papel de bala no chão. É preciso ter coerência entre o que se fala e o que se faz, isso é fundamental! 
No Modelo Moral, não cabe, definitivamente, a regra: “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. O modelo moral deve ser oferecido para a criança por meio do diálogo entre o adulto e a criança sem preconceitos. Devem prevalecer as relações de respeito mútuo, sem o uso da coação do mais forte (adulto) sobre o mais fraco (criança). Se a criança viver relações entre iguais e relações de cooperação pode surgir a autonomia, ou seja, a criança será capaz de tomar decisões adequadas, por conta própria.

Importante

Ao transmitir valores morais para seu(s) filho(s), procure fazê-lo por meio do diálogo, ou seja, não seja autoritária.
Os pais que se preocupam em transmitir valores morais adequados para seus filhos motivam a criança a prestar atenção em vítimas de danos e tragédias. Já os pais coercitivos, cujas ações provocam medo e raiva na criança, quando essa transgride uma norma que causou dano a alguém, deixam de focalizar as conseqüências que o ato causou na vítima.

Sugestões para o desenvolvimento de um Modelo Moral adequado

• Práticas voltadas para o desenvolvimento da empatia: fazer o exercício de se colocar no lugar do outro que está sofrendo. 
Exemplo: quando a criança quebra o carrinho do coleguinha, faça com que ela reflita o que iria
acontecer, o que ela iria sentir se fosse o contrário.
• Um outro exercício de reflexão sobre os valores morais pode ser feito por meio dos programas de televisão. 
Exemplo: procure saber o que seu(s) filho(s) assiste(m). Feita essa pesquisa, assista com ele(s) a um programa de TV (filme, novela etc.) e depois discuta com ele(s) quais os aspectos positivos e negativos dos comportamentos dos personagens. Refletir sobre o comportamento dos personagens é de fundamental importância para que a criança e o adolescente possam reagir criticamente frente a uma situação real semelhante àquela do programa de TV.
• Seu filho chega em casa com objeto ou com dinheiro que você sabe que não é dele. Procure saber de quem é e por que está com ele e ensine-o a devolver.
• Caso seu filho vier a estragar alguma coisa de alguém, ensine-o a contar o que fez, a pedir desculpas e repor o objetivo destruído.
• Procure incentivar seu filho a ler livros, revistas ou a assistir programas de TV que mostrem os efeitos negativos do uso de drogas e da violência.

Dicas

• Seu filho chega em casa com objeto ou com dinheiro que você sabe que não é dele. Procure saber de quem é e por que está com ele e ensine-o a devolver.
• Caso seu filho vier a estragar alguma coisa de alguém, ensine-o a contar o que fez, a pedir desculpas e repor o objetivo destruído.
• Procure incentivar seu filho a ler livros, revistas ou a assistir programas de TV que mostrem os efeitos negativos do uso de drogas e da violência.

Estilo inapropriado

• Disciplina inconsistente
• Permissividade
• Regras caóticas ou incoerentes
• Supervisão inexistente ou falha (nunca sabe onde o filho está)
• Disciplina coercitiva
• Interação verbal aversiva, extensa e freqüente
• Pouco afeto
• Muita crítica
• Índice alto de reforçamento de comportamento inapropriado
• Ignora comportamento adequado
• Uso da violência como estratégia de solução de problemas
• Emprego freqüente e intenso de violência (física, psicológica ou sexual) ou negligência
• Uso de ameaças
• Ignora esforços do filho para melhorar
• Pouco sorriso
• Não afaga ou demonstra carinho
• Não conversa
• Não ouve
• Não demonstra empatia
• Uso de sarcasmo com freqüência
• Uso de modelos inadequados
• Brigas na frente do filho

Estilo apropriado

• Disciplina consistente
• Limites
• Regras firmes, mas flexíveis
• Supervisão adequada (sempre sabe onde o filho está)
• Disciplina não coercitiva
• Interação verbal positiva, extensa e freqüente
• Muito afeto
• Pouca crítica (são construtivas)
• Índice alto de reforçamento de comportamento apropriado
• Ignora comportamento inadequado, quando possível
• Estratégias criativas e pacíficas (com base no diálogo)
• Ausência de violência
• Não faz ameaças
• Reconhece e valida os esforços do filho para melhorar
• Muito sorriso
• Afaga e demonstra carinho
• Há diálogo freqüente
• Ouve
• Demonstra empatia
• Pouca ou nenhuma utilização de sarcasmo
• Uso de modelos apropriados
• Minimiza brigas na frente do filho


12 comentários:

  • Letteia Bispo disse...

    Ótimas dicas amiga
    Temos que estar bem perto das nossas crianças mesmo
    E dar exemplo bom
    Bjkas
    http://segredosdaluma.blogspot.com.br/

  • Gracita disse...

    Minha amiga Toninha
    Esse texto é uma pérola. Um manual de altíssima qualidade para um encontro de pais. Um tema perfeito. Parabéns pela excelente abordagem
    Hoje vim deixar meu abraço de afeto e carinho. Vou ausentar-me por alguns dias para descansar. Voltarei energizada. Meu coração se encherá de saudade mas esta pausa é necessária. Agradeço a sua visita ao meu recanto poético. Você o deixa iluminado com teu halo de luz. O teu carinho e a tua amizade são muito importantes para mim. Deixo beijokinhas com sabor de saudade recheadas com o carinho da minha amizade.
    Gracita
    Tem um mimo pra você!

  • Tatty Nunes disse...

    Nossa Toninha, vc arrazou! ótimas dicas. Nós temos que ser o melhor exemplo para nossos filhos!
    Bjos
    Tatty
    http://diariomaedeprimeiraviagemtatty.blogspot.com.br/

  • Paty disse...

    Oi Toninha.
    Gostei muito do post, uma lição para todos nós pais.
    Eu sempre ouvi e gosto de repetir a frase: "Os filhos são reflexos dos pais".
    Beijos!

  • Jamilly Mãe do Lucas Davi disse...

    Otima postagem!

    Um dia desses meu menino chegou com um dinossauros pequeno, aqueles que colocamos nas lembrancinhas de aniversario, nem tem valor, ele trouxe da escola e no outro dia perguntei a professora de quem era e ela me disse que tinha dado para todos, como não sabia e o Lucas não explicou preferir ir procurar saber.

    beijos

  • Ellen Ramos disse...

    Hoje o tempo e necessidade de ganhar dinheiro as vezes não permite os pais de ver em pequenos atos, coisas que fere sentimentos, muitos pais para compensar a falta que fazem a seus filhos não corrige, mas esse comportamento vai afetar os pais e os filhos, e a os que estão ao seu redor. Meu filho tem 6 anos e sofre bullyng e muitos pais fingem não ver, mas não percebe o quanto estão prejudicando seus filhos.

    Bjss

    http://inlovecabelos.blogspot.com.br/2013/07/produtos-que-desejo.html

  • Carlah Ventura disse...

    Excelente postagem... precisamos mesmo passar bons exemplos e os reais valores para nossos filhos.
    Bjs!!

    Carlah Ventura
    BLOG: Intensa Vida

  • Vivi * Isaac disse...

    Adorei... Com certeza temos que nos preocupar e ensinar o certo para os pequenos, deste cedo temos que mostrar o correto. Nunca jogo nada na rua, sempre falo para ele que não pode, que tem que guardar para jogar no lixo... E sempre me da o papelzinho que sempre guardo na bolsa... Afinal somos o exemplo. Bjs
    Vivi e isaac

 

©Copyright 2013 - Todos os Direitos Reservados - Toninha Ferreira Mundo Mãe | Design By Arte e Design